Nascimento do Joaquim

Encontrar com a Fran foi um desses presentes que a vida nos reserva com todo o carinho.
Temos uma amiga em comum que nos apresentou logo no início da gravidez da Fran, era sua segunda gestação e nesta ela estava em busca de poder fazer escolhas diferentes. Queria ter um pouco mais de informações sobre como ter um parto mais respeitoso. Falei de algumas pessoas e lugares pra ela, contei algumas histórias e desde então estivemos em contato. Foi engraçado pois logo no início já senti uma grande afinidade com ela. Aquele sorrisão largo, que chega iluminando tudo, aquelas risadas gostosas e aquele jeitinho de falar manso me faziam ficar muito à vontade com ela e ter a certeza no coração de que ali nasceria uma linda amizade.
E desde então fui acompanhando sua jornada, suas descobertas, suas buscas, seus dilemas, vibrando junto em todos os momentos!
No finalzinho da gestação ela me perguntou sobre as fotos e que ela tinha este desejo de registrar, já que possivelmente esta seria sua última chance. Fomos conversando e muito próximo da data provável resolvemos que sim, registrar seria uma realidade. Eu não pude ficar mais feliz pois já gostava taanto dela, já me sentia tão parte de toda a história que poder ter a honra de acompanhar o nascimento do Joaquim fazia meu coração palpitar! <3
O Joaquim estava pélvico (sentado), e depois de algumas tentativas de versão sem sucesso ela via a possibilidade de uma segunda cesariana se aproximar. Após muitas conversas com seu médico e enfermeira decidiram que o plano A seria o parto normal e caso houvesse uma real necessidade no decorrer do caminho daí sim fariam a cirurgia. O Plano A inicialmente era um parto domiciliar planejado, porém como o bebê não estava em posição cefálica, e isto aumenta um pouco os riscos habituais do parto, decidiram que o melhor lugar seria a maternidade. Mas o mais importante é que ela foi com o coração aberto para acolher o que viesse, estava desejando muito conseguir parir,  mas caso precisasse de uma intervenção cirúrgica esta seria uma realidade que ela acolheria com todo o coração.
E numa bela noite de inverno, Bruno me liga falando que as contrações estavam ritmadas e que estavam indo para a maternidade,  fui feliz da vida como se alguém da família estivesse por chegar!Lá na maternidade é onde pude conhecer um pouco mais do Bruno e me surpreender com o carinho, amor e atenção que cuidava e paria junto com a Fran. Ele realmente estava ali vivenciando tudo com o corpo e alma, sorria e silenciava junto a cada contração. Massageava, se abaixa, segurava, eles estavam muito unidos e muito cúmplices em todo o processo e era lindo de ver!

Bom, após umas 12h de trabalho de parto, já exausta, sem muita energia, e com o TP estagnado há algum tempo, o obstetra lhe deu algumas opções, que seria continuar aguardando já que o bebê estava bem, colocar ocitocina pra ver se o trabalho de parto voltava a engrenar, mas que ele não recomendava muito no caso dela, ou fazerem uma cesariana. Ela pediu um tempo para pensar e conversar com o Bruno, sentiu que não teria mais forças para seguir adiante, pois já estava muito exausta e que a cirurgia agora seria o caminho que ela seguiria.

E assim o foi, mas com todo o carinho e respeito, permitindo que este momento pudesse continuar a ser especial para ela, e que a transição para o Joaquim pudesse ser o mais serena possível. E isto também é humanização gente!

Toda esta experiência me mostrou como tudo fica mais leve quando a gente vai com o coração em paz e pronto para acolher a nossa história do jeito que tiver que ser! Ela ser linda ou não, claro que estar bem assistida faz toda a diferença, mas também depende muito da gente, do nosso interior, nosso olhar, do quanto a gente consegue acolher os desafios e se entregar para a o imprevisível, confiando que tudo dará certo!

Bom, agora que vocês conhecem um pouquinho da história acompanhem como foi lindo tudo isso! Lindeza que as palavras não conseguem exprimir. rsrsr Dá o play e vem!

Equipe:

Médico Obstetra: Carlos Miner Navarro
Enfermeira Obstetra: Adelita Gonzales
Doula: Helenice Assis Vespasiano
Fotografia: Márcia Kohatsu

Maternidade: Maternidade Curitiba

Se você gostou e quer conversar mais à respeito, entre em contato, vou adorar conversar com você!!  :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: